Casey Anthony é pessoa mais odiada dos EUA, diz pesquisa

REUTERS

LOS ANGELES (Reuters) - Casey Anthony, a mulher que foi absolvida recentemente da acusação de ter assassinado sua filha de dois anos, é a pessoa mais odiada dos Estados Unidos, segundo uma nova pesquisa que monitora as percepções do público sobre celebridades.

Anthony, de 25 anos, que agora está escondida depois de ser libertada da prisão em julho, era mais odiada que o ex-astro do futebol americano O.J. Simpson e a socialite Paris Hilton, segundo a pesquisa divulgada nesta quarta-feira pelo E-Poll Market Research.

Anthony foi absolvida em julho pelo assassinato de sua filha Caylee em 2008, para a surpresa e a indignação de muitos especialistas em direito e milhões de norte-americanos que assistiram às seis semanas de julgamento ao vivo pela televisão.

A pesquisa E-Score Celebrity, da E-Poll, instituto sediado na Califórnia, para a primeira semana de agosto indicou que 53 por cento daqueles entrevistados estavam cientes de Casey Anthony e de sua história, e 94 por cento desses não gostavam dela.

Anthony também foi considerada 'sinistra' por 57 por cento dos entrevistados e 'fria' por 60 por cento dos questionados.

O ex-astro do reality show de TV 'The Hills' Spencer Pratt, estava em segundo lugar na categoria de 'odiados', seguido por Nadya Suleman, uma mulher solteira e desempregada da Califórnia que deu à luz óctuplos em 2009 apesar de já ter seis filhos. O.J. Simpson -- que foi absolvido em 1995 por assassinar a ex-mulher e um amigo em 1994 -- ficou em quarto lugar.

A pesquisa é realizada semanalmente e questiona 1.100 pessoas a partir dos 13 anos de idade. O estudo classifica 6 mil celebridades em termos de notoriedade pública, aceitação e outros 46 atributos.

(Reportagem de Jill Serjeant)