Imagem: Divulgação/Nana Moraes

Atualmente, você está gravando o seriado "Na Forma da Lei". Como é a sua personagem?

Eu faço a Gabriela, uma delegada federal. Ela é casada, tem filhos, é honesta, íntegra. É uma nova profissional que tenta enquadrar o protagonista da série, interpretado pelo Márcio [Garcia].

Você fez algum tipo de laboratório, alguma preparação para a personagem?

Eu fiz aulas de tiro e tática militar. Foi muito puxado, muito cansativo. Eu tive muita dificuldade com a arma. Eu achava que o festim ia machucar, sofri muito com o barulho. Me incomodava. Me assustava. Mas quando tivemos que gravar, tudo passou. Eu consegui gravar e depois da primeira cena, fluiu e foi tudo tranquilo.

Oque te levou a aceitar esse papel?

Muita coisa. Deu para conciliar as gravações com a peça. Foi um convite do Wolf [Maia, diretor do seriado], eu tenho o maior carinho por ele, que me esperou para dar início ao projeto. E tem também a possibilidade de mostrar que é possível melhorar o lugar em que se vive. O seriado fala da vontade desses jovens profissionais que querem fazer a diferença.

Dezoito anos depois, você volta a participar de um projeto de Antônio Calmon. Como foi esse reencontro?

Quem proporcionou esse reencontro foi o Wolf. Foi ele que me chamou para o papel. Mas eu estava com saudade de trabalhar com o Calmon. Meu primeiro papel foi em um trabalho dele [na minissérie “Sex Appeal”]. Eu era tão novinha. É maravilhoso faze um texto dele novamente.

Se eles te convidassem para fazer uma novela, você toparia?

Eu adoraria fazer uma novela. Mas ela toma um ano da sua vida, são 12 meses de dedicação. É muito tempo. Quando eu penso nisso, eu desisto de fazer novela. Porque eu estou muito envolvida com o teatro e fica difícil conciliar.

Em uma entrevista você declarou que "as pessoas têm uma imagem completamente diferente de mim". Quem é a Luana Piovani?

Eu sou alegre, otimista, dedicada, batalhadora. Sou alguém que ama o teatro, sou simpática, feliz. Sou humilde, sou simples pra caramba.

Você se acostumou a lidar com o assédio da imprensa?

Eu fiquei famosa aos 16 anos, se passaram quase 20 anos. É impossível não aprender nada depois de tanto tempo. Eu aprendi a lidar e a conviver com isso. Acostumar eu não acostumei. Mas não me incomoda mais não.

É difícil manter um relacionamento sendo uma pessoa famosa?

É difícil manter um relacionamento na vida. Seja você famoso ou não. Seja um namoro, amizade, relacionamento familiar. A convivência entre duas pessoas é muito complicada. Agora, ser famosa só amplia isso. Os meus relacionamentos são iguais ao de todo mundo.

E você está mesmo solteira? Terminou pra valer com o Felipe Simão?

Estou. Estou solteira. Solteiríssima.

Acompanhe o Famosidades no Twitter: http://twitter.com/Famosidades