Lauryn Hill

Por NINA RAMOS

RIO DE JANEIRO - De calça preta larga, casacão vermelho, boina pink brilhante e muito ouro, Lauryn Hill invadiu o palco da casa de shows Citibank Hall, no Rio de Janeiro, e colocou os cariocas para pularem ao som forte das batidas na noite de segunda-feira (6). Ao contrário da última passagem pelo país, em 2007, a ex-Fugees fez bonito ao apresentar seu repertório clássico, que inclui canções como “Lost Ones”, “Forgive Them Father” e “X-Factor”.

Daniel de Oliveira e Vanessa Giácomo foram alguns dos famosos que conferiram o som da diva americana, que não lança um novo trabalho há 12 anos. “Eu vim por ela, mesmo. Gosto muito do som, e da época do Fugees”, contou o intérprete de Agnello em “Passione”. Vanessa e o ator chegaram correndo e logo foram para a pista VIP de Lauryn. O casal deixou Raul, o filho mais velho, e o pequeno Moisés, o caçula, em casa para curtir um momento a dois. “Ele está ótimo”, avisou Vanessa sobre o bebê.

Outro grupo animado era de “Escrito nas Estrelas”. Jayme Matarazzo confessou que foi o responsável por agitar os amigos para a apresentação. “Estamos na reta final da novela, e todos estão sentindo muito. Firmamos compromisso de nos vermos o máximo possível, principalmente depois da novela. Virou família mesmo. É a família Rogério Gomes”, disse o ator, se referindo ao diretor da trama.

Paulo Vilela, que vive Breno em “Escrito...”, concordou com o colega: “A gente passa mais tempo juntos do que com a própria família. Fazemos festa sempre. Ontem mesmo nós passamos na casa da Carol [Castro]”. A intérprete de Mariana, inclusive, estava confirmada para o show, mas não apareceu. Ainda da trama das 18 horas da Globo, Marina Ruy Barbosa e Manuela do Monte curtiram o som de Lauryn com os amigos.

E voltando a falar dela, apesar de mais concentrada e totalmente na pressão, o som do show ficou a desejar. A reportagem do Famosidades ficou bem perto do palco, mas flagrou muita gente que não gostou do que ouviu nos fundos da casa de show. A própria Lauryn reclamou por diversas vezes: uma hora era microfonia, outra hora era o retorno muito baixo, outra era o retorno muito alto.

Apesar desses detalhes, valeu muito a pena esperar para acompanhar o show de aproximadamente 1h40. “Turn Your Lights Down Low” foi uma das canções mais lindas, assim como “Zion”, que elevou o nível de adrenalina e fez Lauryn pular até cansar. Acompanhada por uma banda incrível – que não parava de pedir para que a platéia jogasse as mãos para o alto -, Lauryn agiu como maestro. A todo o momento pedia mais “pressão” para um deles. Era um solo de guitarra mais agudo, mais break do DJ, mais coro das backing vocal – ótimas, para efeito de registro.

A voz rouca, sua marca registrada, falhou em alguns momentos, é verdade. Mas não atrapalhou em nada. Até serviu de charme. Lauryn usou efeitos de eco para prolongar notas e parecia brincar de fazer rap. Sua companheira inseparável no palco foi uma toalhinha preta, que ela não largou em nenhum momento.

A cantora ainda arriscou conversar com a plateia, e contou rápidas histórias de músicas como “X-Factor”, que disse ter nascido do coração. “É muito minha [no sentido de íntima], eu queria cantar”, disse. Sem dúvida, o momento mais emocionante foi quando Lauryn cantarolou a primeira frase de “Killing Me Softly”, grande sucesso do Fugees. Estava na cara que a própria se assustou com a recepção do público, que a acompanhou em uníssono. “Obrigada, Rio. Nós amamos vocês”, finalizou, após apresentar a clássica “Doo Wop” para encerrar.

Abaixo você confere quais foram os VIPs que passaram pelo show da diva e ainda fotos de Lauryn no palco: