Imagem: Arquivo Famosidades

Imagem: Arquivo Famosidades

Por KAREN LEMOS

SÃO PAULO – Rouge foi um marco na leva de realitys shows que surgiu no início desta década na televisão brasileira. Em 2002, o SBT revolveu arriscar e apostou suas fichas em uma atração internacional de grande sucesso (na Austrália, por exemplo, o formato atingia os maiores níveis de audiência).

Surgia assim o reality “Popstars”, com o objetivo de reunir milhares de candidatos – no caso, candidatas, como exigia a primeira versão do programa – para formar um grupo de qualidade, contando com o apoio de produtores e profissionais da música que encaminhassem o conjunto para um sucesso avassalador na indústria fonográfica do Brasil.

Na rígida seleção, 30 mil aspirantes a artista deram o sangue para conseguir a tão sonhada vaga no grupo que seria formado. Das 30 mil, apenas cinco garotas alcançariam o objetivo. Foram elas: Patrícia Lissa, Aline Wirley, Fantine Thó, Karin Hils e Luciana Andrade. Batizado de Rouge (que em francês significa vermelho), o recém formado conjunto tinha tudo para conquistar as paradas nacionais: belas vozes e apoio de gente forte no mundo da música.

E pode-se dizer que chegou mesmo perto disso. O disco de estreia das meninas recebeu o disco de platina duplo. Somando os seis CDs da carreira, Rouge vendeu cerca de 6 milhões de cópias de disco em todo território nacional. Para se ter uma ideia do parâmetro de tanto sucesso, em um show realizado no Estádio do Pacaembu, em São Paulo, o grupo reuniu 30 mil pessoas no gramado do local. Entre alguns sucessos do grupo estão “Um Anjo Veio Me Falar”, “Brilha La Luna”, “Blá, Blá, Blá”, “Vem, Habib (Wala, Wala)”, e o grande hit, que tornou o conjunto famoso, “Ragatanga”.

Em pouco tempo de carreira, as meninas passaram a serem alvos de boatos sobre conflitos internos na banda, e desentendimentos artísticos que estavam colocando em risco o futuro do conjunto. No ano de 2005, veio a confirmação: o Rouge estava mesmo se dissolvendo. Talentosas, as meninas jamais deixaram a cena artística. Algumas continuam batalhando na música, outras, apostaram no teatro, ou ainda, investiram na família.

Confira nos links abaixo por onde andam as cinco integrantes do Rouge.