Divulgação

Divulgação

Após a notoriedade nas telinhas, Mário resolveu trabalhar em um consultório de Psicologia, no final dos anos 80. “Resolvi estudar depois que já era ator e coloquei em prática esta outra profissão. Até porque era uma necessidade de desenvolver este lado intelectual ligado a essa filosofia, que me encanta muito.”

Segundo ele, o curso acabou dando um suporte na sua atuação. “Não fiz Psicologia para ser melhor ator, mas com certeza acabou ajudando muito na composição do perfil psicológico de um personagem. Essa experiência me ajudou muito no meu crescimento interior, no meu autoconhecimento e como pessoa em relação ao mundo.”

Com o fechamento do consultório, no entanto, o artista resolveu entrar no mundo dos dubladores. “Começou a partir de algumas portas fechadas no meio artístico. Com isso, fiz um investimento na dublagem, que é uma especialidade do ator. Estou dublando já há uns 20 anos e dirigindo por 8 anos.”

Aliás, Cardoso dublou um personagem bastante querido das crianças, o Professor Utônio de “As Meninas Superpoderosas”. Ele, inclusive, é até reconhecido por esse trabalho. “O Professor Utônio tem a sua popularidade e, mesmo sendo só voz, algumas pessoas conseguem me identificar.”